"Rei do abraço", vereador diz que, sem este afeto, comemoração não é completa

Considerado "rei do abraço" na Câmara de Feira de Santana, o vereador Luiz da Feira (PROS) está lamentando não poder fazer o que mais gosta, para comemorar a reeleição no último pleito, assegurando presença na Casa da Cidadania pelos próximos quatro anos. Mesmo feliz com a conquista, ele disse na Câmara, esta semana, que não está completa a sua alegria, por não poder festejar abraçando os amigos, devido as medidas de prevenção à pandemia de covid-19. Nascido no distrito  Bonfim de Feira, o vereador autor da Lei Municipal que instituiu 22 de maio como “Dia do Abraço” considera fundamental essa  demonstração de afeto. "É um simples ato que pode ajudar a diminuir os níveis de estresse e deixar as pessoas mais felizes. Vamos dar valor ao amor. Minha arma sempre será o abraço, que é o verdadeiro carinho pelo povo”. Luiz da Feira fala com orgulho por representar "o camelô que ocupa uma cadeira no Legislativo". Lembra que ao chegar da zona rural à cidade passou 30 dias procurando emprego e, por não conseguir, tornou-se vendedor ambulante para sobreviver: "Depois botei na cabeça e no coração que ia virar vereador para ajudar a categoria. Não foi uma luta fácil".


Compartilhe

Mais Notícias